Reports de Marketing: um resumo das principais tendências de 2021

Comunicação Fev 22, 2021

Os relatórios de tendência, feitos por quem entende do assunto, não apenas inspiram futuras campanhas e estratégias, como também informam e preparam para os desafios do ano que se inicia.

Um fato parece ser unanimidade nos reports: é preciso que as marcas olhem para além do produto e ajam de acordo com seu propósito. Ter um posicionamento de marca e valorizar as pessoas são elementos fundamentais.

A seguir, um resumo de três importantes reports: dois deles focados em marketing digital, feitos pela Forbes e Rock Content, e outro mais abrangente, feito pela Deloitte.

Rock Content - 10 maiores tendências de Marketing Digital para 2021

  1. Valorização das experiências em tempo real: durante o isolamento as lives passaram a ter ainda mais importância, por proporcionarem conexões humanas em tempo real. Em formato de entrevistas, perguntas e respostas ou webinars, as lives ainda serão boas pedidas.
  2. Uso do user generated content (UGC) nas estratégias: traduzindo, o conteúdo gerado pelo usuário será muito valorizado. As pessoas tendem a acreditar mais em um produto quando alguém "da vida real" o recomenda. Assim, passa a ser importante atitudes como repostar o feedback dos clientes e também a criação de grupos de debate sobre a marca.
  3. Aumento na criação de conteúdos interativos com o intuito de aumentar o engajamento dos usuários com o produto. Algumas possibilidades são "quizzes, calculadoras, ebooks, infográficos, questionários e vídeos interativos".
  4. Crescimento do TikTok e Reels no Brasil: esse formato de conteúdo está despertando a atenção das pessoas. Estratégias de publicidade e parceria com criadores de conteúdo poderão ser recorrentes.
  5. Aumento no uso de assistentes por voz: segundo a Rock Content, "os assistentes por voz são um 'prato cheio' para a inovação." E cada vez mais serão explorados produtos que se conectem com esses aparelhos.
  6. Mais buscas sem cliques no Google: o buscador tem investido cada vez mais para que o usuário encontre a resposta do que procura já na primeira página de resultados. Se o objetivo é uma busca sem cliques, como sua marca se adapta a isso? A Rock Content dá algumas dicas no report completo.
  7. Marcas mais humanas e comprometidas: devido à pandemia, "aquelas marcas que souberam assumir sua condição humana e compreender seu papel em um momento de dificuldade conseguiram se conectar com as pessoas", o que demonstra a importância da humanização de sua marca e do posicionamento.
  8. Virada para o slow content: o excesso de conteúdo tem tornado o público mais seletivo, por isso o foco volta a ser na qualidade e não na quantidade.
  9. Foco em dados e performance de conteúdo: em posse dos relatórios de performance é possível entender aquilo que engaja mais seu público e passar a produzir conteúdos que entregam mais valor.
  10. Fortalecimento do Agile Marketing: para se adaptar aos novos desafios uma ferramenta tem se mostrado imprescindível, o agile marketing. A metodologia ágil na gestão de projetos de marketing deixa o processo mais veloz e coerente à era digital.

Leia também: Reports de Gestão: um resumo das principais tendências de 2021

  1. Marketing ágil: alavancar ferramentas digitais relevantes para fazer marketing de forma ágil já é uma realidade. Um mundo cada vez mais digital demanda este tipo de estratégia.
  2. Human experience: a meta é construir um empreendimento mais humano. As organizações devem se ver como entidades humanas que refletem – e apoiam – os valores daqueles a quem foram criadas para servir.
  3. Confiança: quando as marcas combinam sua entrega à sua mensagem, a confiança floresce. Para construir confiança nestes tempos turbulentos, as marcas devem olhar para o que as pessoas valorizam – e garantir que suas promessas estejam em sincronia com sua habilidade de cumprí-las.
  4. Participação: os profissionais de marketing podem se beneficiar – e ficar à frente da concorrência – elaborando uma estratégia de engajamento que se baseie na participação do cliente em seus níveis mais profundos.
  5. Fusion: fusão entre setores e parcerias serão o futuro do mundo pós-pandêmico. As organizações podem ajudar melhor as pessoas a quem atendem, criando experiências inovadoras por meio de fusões intersetoriais.
  6. Talentos: reconhecer a importância de evoluir profissionalmente é fundamental. A valorização dos profissionais de marketing pode elevar o potencial da equipe e impactar positivamente os projetos.
  7. Propósito: as organizações que sabem por que existem e para quem foram criadas podem estar em uma posição única para navegar por mudanças sem precedentes.

Leia também: Tendências da tecnologia para 2021: 6 principais reports

  1. Envolva o público para além das mensagens de venda tradicionais: eventos e experiências virtuais podem ajudar nisso! Será cada vez mais importante enriquecer a experiência do usuário nos perfis de rede social e na loja virtual de sua marca.  
  2. A mídia social se tornará o principal canal de compra, no lugar de apenas fonte de descoberta. Com o comércio via rede social crescendo até 2021, as marcas de varejo terão que se adaptar a essas plataformas e às novas regras.
  3. Compradores informados desejam comprar de marcas informadas: isso significa que os consumidores esperam que as marcas ofereçam os próximos produtos a serem comprados, baseados em compras anteriores. Ou seja, haverá uma busca por serviços personalizados a partir das preferências de compra daquele cliente.
  4. Os eventos virtuais começaram por necessidade, mas vieram para ficar. As empresas descobriram que, ao se tornarem virtuais, abriram seu evento para um público totalmente novo, uma vez que eventos virtuais são mais acessíveis do que eventos presenciais.
  5. Reduzindo os canais de mídia social. Muitas empresas estão começando a reduzir o número de canais de mídia social que usam para compartilhar conteúdos, pois começaram a perceber que é difícil (ou quase impossível) ser influente em todas.
  6. Os eventos virtuais têm grande poder, desde que não haja apenas uma comunicação unilateral. Sim, existem complicações que podem acontecer com eventos online e ao vivo, mas a recompensa é muito maior do que o risco.
  7. Uso da realidade aumentada (RA) no engajamento digital. Foram dados pequenos passos para isso – um dos poucos exemplos é a compra da Oculus pelo Facebook –, mas agora é a hora de pesquisar, aprender e considerar como a RA poderá ser usada em ativos digitais atuais.

As tendências apresentadas oferecem um ótimo panorama das discussões que estão sendo feitas na área de marketing, e para onde as estratégias apontam. O que achou dos reports? Conta pra gente em nossas redes sociais!

Marta Barbieri

Cientista Social e Assistente de Comunicação na Caiena.

LinkedIn icon Instagram icon Facebook icon Twitter icon
Great! You've successfully subscribed.
Great! Next, complete checkout for full access.
Welcome back! You've successfully signed in.
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.
manage cookies