Qual é o papel de um Scrum Master?

Tecnologia Mai 16, 2018

O principal objetivo do Scrum Master é se tornar desnecessário. Para atingir esse objetivo, o Scrum Master deve trazer à luz os valores do framework Scrum para que os demais membros do time consigam internalizá-los. Assim, o time será capaz de atuar de forma autônoma e ágil, fazendo com que o Scrum Master não seja mais necessário.

A maturidade do Scrum Master é determinante para ter sucesso no seu principal objetivo, pois o tornará capaz de externalizar os valores do Scrum de forma simples e clara para que o time os internalize rapidamente. Quanto mais tempo o time demorar para internalizar os valores, mais tempo o Scrum Master será necessário.

Como o Scrum Master atinge a maturidade necessária para alcançar tal objetivo?

A caminhada do Scrum Master em busca do seu principal objetivo passa por três momentos:

1. Internalização: quando o Scrum Master está iniciando a carreira e ainda está internalizando os valores do framework Scrum;

2. Experimentação: quando o Scrum Master é capaz de propor novas técnicas para os demais membros do time;

3. Externalização: quando o Scrum Master internalizou os valores do framework Scrum e é capaz de externalizar esses valores numa linguagem simples e de fácil compreensão.

Apenas ao final dessa caminhada, o Scrum Master terá as habilidades necessárias para atingir seu principal objetivo: tornar-se desnecessário.

Mas, como o Scrum Master deve atuar durante a caminhada rumo ao seu principal objetivo?

Primeiramente, é importante identificarmos o momento do Scrum Master para determinarmos como será a sua atuação.

Não há uma métrica exata para isso, mas é comum que:

  • Scrum Masters que atuaram em no máximo dois projetos estejam no primeiro momento, ou seja, em processo de internalização dos valores do framework Scrum;

  • Scrum Masters que atuaram entre dois e cinco projetos, estejam no segundo momento, ou seja, em processo de experimentação;

  • Scrum Masters que atuaram em mais de cinco projetos, estejam no terceiro momento, ou seja, já internalizaram os valores e são capazes de externalizá-los de forma simples.

Para cada momento, o Scrum Master deve atuar da seguinte maneira:

1. Internalização

Nesse momento, o Scrum Master deve apenas seguir a receita, ou seja, as recomendações do Scrum Guide. Ele deve fazer como se estivesse seguindo a receita de um bolo. Fazendo uma analogia, se o Scrum Master se distanciar da receita, o bolo pode desandar. Em resumo, o Scrum Master deve:

  • Dar visibilidade em relação ao trabalho realizado (Kanban, Burndown, etc);

  • Remover todos os impedimentos para que o time de desenvolvimento consiga trabalhar de maneira fluída;

  • Organizar as cerimônias para que os objetivos de cada uma delas sejam alcançados;

  • Apoiar o Product Owner na gestão do Product Backlog.

2. Experimentação

Após seguir a receita durante um tempo, o Scrum Master estará seguro para adicionar novos temperos.

Nesse momento, o Scrum Master deve continuar executando as atividades recomendadas pelo Scrum Guide, porém, deve, também, olhar de maneira mais ampla para os desafios do time, para o ambiente em que o time está inserido, para as relações pessoais entre os membros do time, para as habilidades do time, e buscar e experimentar alternativas para ajudar o time a entregar cada vez mais valor ao usuário.

Em resumo, o Scrum Master deve:

  • Consultar outras metodologias ágeis em busca de técnicas que possam trazer valor ao time;

  • Transformar o ambiente, valorizando a comunicação;

  • Trazer treinamentos com o objetivo de evoluir as habilidades do time.

3. Externalização

Aqui, o Scrum Master é capaz de ensinar outras pessoas a preparar o bolo, sem seguir a receita.

Nesse momento, o Scrum Master já internalizou os valores do Scrum e teve a oportunidade de experimentar diversas técnicas (com e sem sucesso). Portanto, o Scrum Master está maduro o suficiente para transformar o time em um time autônomo.

Em resumo, o Scrum Master deve:

  • Avaliar se o framework Scrum é a melhor opção para o contexto do projeto e, caso não seja, propor alternativas;

  • Avaliar se o time possui as competências necessárias para entregar o projeto e, caso não possua, propor soluções;

  • Ensinar o time como devem ser realizadas cada cerimônia, visando extrair o máximo de valor de cada uma delas;

  • Ensinar o Product Owner a gerenciar o Product Backlog, visando a entrega dos principais valores ao usuário final;

  • Avaliar se o time possui a autonomia, tornando-se desnecessário ao time.

O fato do Scrum Master não ser necessário ao time não quer dizer que ele deve ser dispensado do time ou da empresa, mas, sim, que sua atuação passa a ser a de um especialista no assunto, apoiando outros times e a própria empresa na migração para o pensamento ágil.

Você concorda que o principal objetivo do Scrum Master seja tornar-se desnecessário? Compartilhe suas experiências ou dúvidas comigo aqui pelos comentários!

Paulo Urgal

Cientista da computação, curioso, dedicado e apaixonado pelo que faço.

LinkedIn icon Instagram icon Facebook icon Twitter icon
Great! You've successfully subscribed.
Great! Next, complete checkout for full access.
Welcome back! You've successfully signed in.
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.
manage cookies