No Brasil, 15% das pessoas matriculadas em cursos de ciência da computação e engenharia são mulheres. Consequentemente, ela representam apenas 17% do total de profissionais nessas áreas.

Mundialmente, as mulheres são cerca de 3% do total de matriculados em cursos superiores de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). O dado é da pesquisa “Decifrar o código: educação de meninas e mulheres em ciências, tecnologia, engenharia e matemática (STEM)”, realizada pela UNESCO.

O mesmo estudo traz também análises dos fatores que causariam essa desigualdade de gênero, além de outros dados sobre o desempenho de meninas e meninos em disciplinas de STEM desde os anos iniciais da escola.

Combinando os dados e análises, concluiu-se que diferenças biológicas ou químicas entre os sexos não causam impacto significativo no interesse e na capacidade de mulheres em disciplinas de STEM. Já os fatores sociais, como normas culturais, estereótipos de gênero e falta de representatividade influenciam a percepção de meninas e mulheres quanto a suas habilidades e seus papéis sociais.

É por isso que, na semana em que se comemora o Dia do Programador (13 de setembro), preparamos uma lista de iniciativas de mulheres programadoras e para mulheres programadoras. Essas iniciativas oferecem a garotas e mulheres interessadas em programação um ambiente seguro, receptivo e representativo para darem seus primeiros passos na área.

Além disso, elas ajudam a diversificar os atores e vozes na tecnologia, contribuindo para desconstruir o estereótipo masculino tão intrínseco à atividade de programação.

5 Grupos de e para mulheres programadoras



1) PyLadies Campinas

pyladies-campinas

PyLadies é uma comunidade mundial com grupos organizados ao redor do mundo – inclusive em Campinas! Esses grupos são formados por mulheres que já programam ou querem aprender a programar na linguagem Python.

Elas realizam oficinas, cursos e encontros para troca de conhecimentos entre as desenvolvedoras. Além disso, estão sempre divulgando oportunidades de emprego e de estudo organizadas por outros grupos legais.

2) Progra{m}aria

O PrograMaria é um grupo brasileiro criado para discutir e reverter a desigualdade de gênero na tecnologia. Ele oferece cursos de programação para iniciantes e realiza eventos sobre tecnologia para mulheres, tratando tanto da técnica de desenvolvimento quanto de administração e crescimento de carreira.

3) Django Girls Campinas

django-girls-campinas

Django Girls é uma iniciativa internacional que realiza workshops com um dia de duração para ensinar Django a mulheres que nunca programaram!

Como explicam as representantes do Django Girls Campinas, “Django é um framework de desenvolvimento web em Python, usado para criar sites de forma simples e intuitiva! Queremos mostrar que programar é fácil e é para todas”.

Para quem não mora em Campinas, é só procurar aqui pelos workshops disponíveis em sua região.

4) Womakerscode

Essa iniciativa sem fins lucrativos visa o protagonismo feminino na tecnologia. Através de seus grupos espalhados pelo país, o Womakerscode atua essencialmente em três frentes:

Capacitar mulheres, educar empresas e construir uma comunidade de apoio que possibilite a gradual superação do gap de gênero na tecnologia.

5) Ruby Empowers!

ruby-empowers

Ruby Empowers! é uma formação gratuita em Ruby on Rails realizada pela Caiena. Sua primeira edição aconteceu em abril de 2019 e, na ocasião, dez mulheres participaram do curso realizado durante dois sábados.

A Caiena já está planejando a próxima edição do evento. Para acompanhar as novidades, nos sigam no Facebook, LinkedIn e Instagram!

6) Reprograma

O Reprograma é uma iniciativa educacional criada para transformar o cenário masculino da programação. O grupo oferece uma série de cursos gratuitos, presenciais e à distância, em várias áreas da tecnologia.

Além disso, organizam o Speed Hiring, um encontro entre mulheres desenvolvedoras e empresas que que agiliza os processos de contratação.

7) Test Girls

test-girls

O Test Girls é um grupo brasileiro criado para ajudar mulheres a aprender tecnologia, crescer em suas carreiras e construir networking. O grupo é focado na área de qualidade e automação e realiza workshops ao redor do país.

É o que conta Karoline Leite, uma de suas fundadoras:

“A comunidade Test Girls nasceu da nossa inquietação por sentirmos que outras mulheres tinham receio de se arriscar mais na nossa área, que deixavam de aprender coisas novas por receio de não conseguirem. Nosso grande objetivo é criar uma comunidade forte onde exista apoio mútuo e um ambiente seguro para a evolução e aprendizado para todas.”

8) minas programam

minas-programam

Essa iniciativa foi criada para promover oportunidades de aprendizado sobre programação para garotas e mulheres – principalmente negras e indígenas. Além de oferecere um curso de introdução à programação, o grupo organiza uma série de oficinas, debates e outros eventos pelo Brasil.

Como contam as representantes do minas programam, “o esforço por garantir que o mundo da programação seja mais plural vem não só da necessidade de ver diversidade, mas também de democratizar o acesso a esse tipo de conhecimento”.

No Facebook, Instagram e Twitter, elas compartilham muitos conteúdos de qualidade sobre inclusão e diversidade na tecnologia, além de oportunidades de estudo e de trabalho na área.

Extra: PodProgramar Podcast

O PodProgramar é um podcast criado e realizado por duas desenvolvedoras. Ele aborda temas relacionados à programação, incluindo questões de carreira, exemplos inspiradores, linguagens, técnicas e frameworks.