Cultura de confiança: uma construção

Pessoas Mar 06, 2018

É comum ouvir o termo cultura de confiança dentro de empresas e organizações, mas será que a construção e a prática dessa máxima realmente funcionam? Certamente sim. Mas apenas se forem diárias.

Mais do que isso: elas precisam estar alinhadas a processos de feedback claros, objetivos e frequentes, mesmo nos ambientes de trabalho que prezam pela autonomia do colaborador. Resumindo: não é porque você está inserido em uma empresa flexível e moderna que automaticamente vai transmitir confiança dentro das equipes de trabalho.

A cultura de confiança precisa ser construída e, como define o autor Patrick Lencioni, autor do livro Os cinco desafios das equipes, o trabalho em equipe começa por essa construção.

Para as empresas, os resultados de uma cultura de alta confiança (em comparação com uma cultura de baixa confiança) impactam diretamente em:

  • 106% mais energia no trabalho;
  • 74% menos estresse;
  • 76% mais engajamento;
  • 50% mais produtividade;
  • 29% mais satisfação pessoal ;
  • 40% menos burnout;
  • 13% menos dias de afastamento.

Na Caiena, essa cultura é uma realidade justamente por ter como base a transparência, apoiada na autonomia e flexibilidade propostas a cada talento. A liberdade proporcionada com relação a gestão de horários e a possibilidade dada a cada um de gerir diretamente a própria carreira estimulam um ciclo de confiança que se espalha de pessoa a pessoa. Cada uma sabe exatamente pelo quê está trabalhando e em que causa e projeto está depositando sua energia.

Por outro lado, já vivenciamos os sintomas da falta de confiança dentro das equipes. Uma equipe desconfiada tem medo do confronto de ideias, e apresenta falta de compromisso dos integrantes em “dar conta do recado”. Isso se reflete em resultados frágeis. A equipe se perde em demandas emocionais, silêncio e retrabalho.

Numa equipe assim, o papel do líder representa o manche orientador. A liderança passa a ser o símbolo da cultura de confiança, capaz de:

  • Navegar por conflitos delicados de opiniões;
  • Manifestar clareza e organização;
  • Gerar um compromisso coletivo (o projeto é de todos!);
  • Criar o sentido de missão para todos os integrantes.

Em times ágeis, que utilizam metodologias como Scrum, Kanban e TDD, cada indivíduo, liderança ou equipe são sustentados pela cultura de confiança para que possam oferecer rápida resposta às mudanças, permitindo também que o cliente final esteja ciente do que está sendo feito, alimentando ainda mais essa relação de confiabilidade e integridade ao longo de toda a cadeia produtiva.

Ficou interessado? Pedimos ao João Von Zuben, líder da nossa Área de Pessoas, para listar algumas dicas de leitura envolvendo o assunto! Anota aí!

Thaís Jorge

Jornalista, sempre em busca de projetos nos quais a comunicação esteja envolvida para agregar e mudar realidades. Acredita que saber ouvir é o primeiro passo para construir novas histórias.

LinkedIn icon Instagram icon Facebook icon Twitter icon
Great! You've successfully subscribed.
Great! Next, complete checkout for full access.
Welcome back! You've successfully signed in.
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.