Assédio no trabalho: ações pelo fim da violência contra a mulher

Diversidade 25 de Nov de 2022

Dia 25 de novembro é o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres. A data visa alertar sobre casos de violências física, psicológica, ou sexual, sobre maus tratos e outras formas de diminuir, abusar ou ferir uma mulher.

E quando falamos de todas estas formas de violência, não podemos deixar de citar o assédio contra a mulher no ambiente de trabalho, que pode ser tanto físico, de forma presencial, ou até mesmo acontecer no trabalho remoto.

De acordo com a OIT (Organização Internacional do Trabalho), infelizmente, mais de 50% das trabalhadoras em todo o mundo já sofreram assédio sexual, porém, nesta realidade, somente 1% dos casos é denunciado.

A partir disso, Larissa Kovelis, designer de produto da Caiena, decidiu criar este conteúdo sobre assédio no trabalho, trazendo esclarecimentos e ações que combatem esse problema. Essa é uma das iniciativas realizadas pelo Comitê de Diversidade da Caiena sobre o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres.

Navegue pelo conteúdo:

Conheça os tipos de assédios e como combatê-los

O assédio, tanto moral, quanto sexual, está mais presente no ambiente de trabalho do que a gente imagina. São situações constrangedoras que, em sua maioria, são praticadas por lideranças, pessoas de níveis hierárquicos maiores, ou até mesmo por colegas de trabalho.

Existem diferentes tipos de assédio. O assédio sexual, por exemplo, trata-se de um comportamento de teor sexual considerado desagradável, ofensivo e impertinente pela vítima. Segundo a Cartilha “Assédio Moral e Sexual”, do Senado Federal, o “assédio sexual fere a dignidade humanda, viola o direito das trabalhadoras à segurança no trabalho e a igualdade de oportunidades, além de prejudicar a sua saúde”.

Em regra, a pessoa que assedia é autoritária, manipuladora e mantém um comportamento de abuso de poder. Ela se satisfaz com o rebaixamento de outras pessoas. Além disso, possui uma postura arrogante, desmotivadora e necessita demonstrar poder. Também tem um perfil de não assumir responsabilidades, não reconhecer suas falhas e de não valorizar o trabalho dos demais.

Exemplos de assédio sexual listados pela cartilha “Assédio Moral e Sexual”:

  • Insinuações explícitas ou veladas;
  • Gestos ou palavras escritas ou faladas;
  • Promessa de tratamento diferenciado;
  • Chantagem para permanência ou promoção no emprego;
  • Ameaças de represália como a de perder o emprego;
  • Perturbação e ofensas;
  • Conversas indesejáveis de caráter sexual;
  • Narração de piadas ou uso de expressões de conteúdo sexual;
  • Contato físico não desejado;
  • Solicitação de favores sexuais;
  • Convites impertinentes;
  • Pressão para participar de “encontros”;
  • Exibicionismo;
  • Criação de um ambiente pornográfico, entre outros.

Já o assédio moral é estruturado por ações como gestos, palavras orais ou escritas, ou comportamentos que atingem o psicológico. Eles expõem a vítima a situações humilhantes e constrangedoras, portanto, são capazes de ofender a dignidade, personalidade ou integridade psíquica e física da pessoa assediada, com o objetivo de excluí-la do ambiente de trabalho ou deteriorar suas funções como profissional.

Exemplos de assédio moral listados pelo trabalho acadêmico “Assédio moral contra mulher no ambiente de trabalho e o empoderamento como ferramenta de defesa”:

  • Retirar a autonomia ou privá-la de acessar ferramentas de trabalho;
  • Sonegar informações úteis que poderiam auxiliá-la em seu desenvolvimento;
  • Criticar o trabalho de modo exagerado e injusto;
  • Entregar uma quantidade excessiva de tarefas comparada aos seu colegas;
  • Atribuir propositalmente tarefas inferiores ou que desviem de suas funções;
  • Controlar frequência e tempo de utilização de banheiros e pausas durante o expediente;
  • Dificultar ou impedir que sejam promovidas ou exerçam funções diferenciadas;
  • Segregar a vítima no ambiente de trabalho, tanto fisicamente, quanto recusando a comunicação;
  • Agredir verbalmente, fazer gestos de desprezo, alterar o tom de voz ou ameaçar com outras formas de violência física;
  • Criticar a vida privada ou preferências da vítima;
  • Espalhar boatos para desmerecê-la perante seus colegas;
  • Desconsiderar problemas de saúde ou recomendações médicas;
  • Diferença salarial entre homens e mulheres que exercem o mesmo cargo onde os salários das mulheres sejam inferiores, entre outros.

O assédio também pode estar presente no trabalho remoto

Com a pandemia, o volume de troca de informações digitais aumentou. Sendo assim, usamos mais e-mails, aplicativos de mensagens, redes sociais e plataformas para videoconferências. Porém, o uso dessas tecnologias trouxe à tona mais evidências de casos de assédio moral no trabalho, incluindo na modalidade remota, como explica esta reportagem do Portal LexLatin.

De acordo com a publicação e os especialistas entrevistados, o aumento dos casos reflete o encorajamento do assediador quando está utilizando um equipamento eletrônico. Nestes casos de assédio moral no trabalho remoto, existem características diferentes, que estão relacionadas à invasão de privacidade.

Exemplos de assédio moral no home office listadas pelo Blog “Canal de Denúncias”:

  • Mensagens escritas ou de vídeo, que dizem respeito a privacidade da assediada;
  • Chamadas em horários fora do expediente, ou forçar o trabalho além de sua carga horária;
  • Comentários pejorativos sobre a aparência da pessoa colaboradora ou de seu local de trabalho;
  • Isolamento da vítima, ideias ignoradas, falta de interação com os colegas  e feedbacks do gestor;
  • Mandar mensagens em redes sociais sem o consentimento.

Quais são os danos e como prevenir o assédio no ambiente de trabalho


Ainda segundo a Cartilha “Assédio Moral e Sexual”, do Senado Federal, o assédio pode gerar tanto danos psicológicos, quanto físicos. A sensação de culpa, vergonha, rejeição, tristeza, inferioridade e baixa autoestima, irritação constante, sensação negativa do futuro – vivência depressiva, diminuição da concentração e da capacidade de recordar acontecimentos, cogitação de suicídio são alguns dos principais diagnosticados em relação à saúde mental.

Já entre os danos físicos estão distúrbios digestivos, hipertensão, palpitações, tremores, dores generalizadas, alterações da libido, agravamento de doenças pré-existentes, e alterações no sono, como dificuldades para dormir e pesadelos.

Existem diversas ações que podem ser adotadas para a prevenção do assédio no ambiente de trabalho, principalmente contra as mulheres. Ao garantir a participação efetiva da força de trabalho feminina nas atividades, é possível ampliar a sua autonomia, o que contribui com o empoderamento e reação combativa, por exemplo.

A definição clara das atribuições e das condições de trabalho de cada um também é uma ação preventiva, para que assim os limites de trabalho sejam respeitados. Outra forma de combater isso nas organizações é introduzir no código de ética ou nas convenções coletivas de trabalho medidas de prevenção do assédio moral. E, para completar, é importante avaliar as relações entre as pessoas do trabalho e se atentar para as mudanças de comportamento.

Na Caiena, nós dizemos NÃO ao assédio contra as mulheres!

O assédio pode ocorrer quando estão presentes somente a pessoa que assedia e aquela que é a assediada, o que dificulta a obtenção de provas. Por isso mesmo, é importante romper o silêncio e trazer a público os fatos ocorridos.

Assim, se isso acontecer com você, conte o ocorrido para os colegas, amigos e familiares. Faça o seu relato também no setor de Recursos Humanos. E registre o caso na Delegacia de Polícia Legislativa do Senado, na Delegacia de Atendimento Especial à Mulher (DEAM) ou em qualquer delegacia comum. Não se cale, assédio é crime!

Na Caiena, nós repudiamos casos de assédio e de violência contra a mulher. Para contribuir com a eliminação desse problema em nossa sociedade, incentivamos a troca de feedbacks gentis e respeitosos entre os nossos talentos, pois acreditamos que trocas construtivas contribuem com o desenvolvimento de nossas pessoas.

Também incentivamos nossas pessoas a manterem um olhar atento e empático para oferecer ajuda ao próximo ao identificarem sinais, e nossa área de Pessoas está sempre à disposição a ouvir e ajudar a todos que possam estar enfrentando dificuldades como estas e outras, dentro e fora do ambiente de trabalho remoto.

Essa é uma das iniciativas realizadas pelo Comitê de Diversidade da Caiena sobre o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres. Seguimos produzindo conteúdos para o público interno e externo que visam promover a reflexão e o diálogo para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária. Conheça mais sobre o Comitê de Diversidade da Caiena aqui!

Fontes de pesquisa para o conteúdo:

Cartilha “Assédio Moral e Sexual”, do Senado Federal

Blog “Canal de Denúncias”

Portal LexLatin

“Assédio moral contra mulher no ambiente de trabalho e o empoderamento como ferramenta de defesa”

Não Se Cale

LinkedIn icon Instagram icon Facebook icon Twitter icon
Great! You've successfully subscribed.
Great! Next, complete checkout for full access.
Welcome back! You've successfully signed in.
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.